tecnologia

O banco de dados Mukurtu Wumpurrarni-kari

O banco de dados Mukurtu Wumpurrarni-kari

Ronaldo Lemos do CTS/FGV nos mandou essa dica de projeto: aborígenes na Austrália desenvolveram seu próprio banco de dados, integrando seus protocolos culturais e restrições de acesso ao conhecimento à própria ferramenta digital. Abaixo traduzi um trecho do release deles:

"Conhecimento é que nem esterco, se não espalhar, não presta."

"Conhecimento é que nem esterco, se não espalhar, não presta."

Não resisti em reproduzir o post que o Alex mandou no blog de usuários de linux do ISA, a respeito de um recente livro sobre como entender a "nova internet".

O livro pode ser baixado livremente no seguinte endereço: http://paraentenderainternet.blogspot.com/

"Conhecimento é que nem esterco, se não espalhar, nao presta." -- D. Maria

Já escreveram que pra entender basta um tapa num cigarro, uma descida ao
porão. Uma caminhada por qualquer caminho ou um carinho qualquer. Enfim,
para aqueles que quiserem entender a "nova internet" e o impacto que ela

Infopolítica

Na última edição da revista Ciência e Cultura, editada pela Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência, há um especial (em anexo) interessante sobre INFOPOLÍTICA. Os artigos cobrem assuntos como biotecnologia e propriedade intelectual (muito bom!), reprodução assistida, drogas do esquecimento (muito bom!) e conhecimentos tradicionais de povos indígenas.
Laymert Garcia coordenou o trabalho; segue abaixo o começo da sua apresentação:
"Sob o tema Infopolítica procuramos reunir, de modo interdisciplinar, pesquisas e

Mídias Nativas

Mídias Nativas

Mídias Nativas - seminário em SP

Esse evento parece bem interessante...

Diretrizes para o material preparatório das oficinas

Conforme vimos discutindo nas nossas reuniões de coordenação, as oficinas sobre Conhecimentos Tradicionais e Novas Tecnologias deverão se desdobrar em dois momentos: (i) discutir as formas de gestão tradicionais dos conhecimentos indígenas relacionados ao projeto em questão (no caso do Rio Negro, os projetos de valorização da música Baniwa e das danças Wanano), e (ii) apresentar os potenciais das novas tecnologias que serão utilizadas pelos índios para difusão cultural atraves da internet.

"A relação aparentemente inusitada entre as formas tecnologicamente mais novas de produção do conhecimento e as formas...

... supostamente arcaicas, milenares de produção de conhecimento parece se encontrar em algum lugar, em parte porque é um lugar que é o contrário apenas do lugar onde a doutrina clássica da propriedade sobre um bem material se constituiu." Eduardo Viveiros de Castro

Plataformas de conhecimento: decifra-me ou te devoro!

Segue o link para um excelente artigo do Carlos Nepomuceno[1], publicado hoje no Webinsider[2] que acho relevante para alguns aspectos de nosso tema.

"Vivemos hoje um fato inédito na história da humanidade: a passagem em apenas uma geração de três plataformas do conhecimento: da digital (50-90) à rede (95-04) e desta para a rede colaborativa (04-?)."

Confiram a íntegra do artigo em: http://webinsider.uol.com.br/index.php/2007/12/18/plataformas-de-conheci...

Vale a pena a leitura!